26.4.07

Número 212


GRANDE ENCICLOPÉDIA 1º DE ABRIL

 

Este é, talvez, um dos livros mais raros que temos na biblioteca de casa. Para se ter uma idéia, a data da edição é 2062. Comprei em Foz do Iguaçu, na Tríplice Fronteira, em um sebo que ficou aberto não mais do que quinze minutos. Explico: entrei no lugar atraído por um exemplar nº 1 do Recruta Zero. O dono, um turco sorridente, pediu cinqüenta dólares pelo gibi. Achei caro. Mas o insistente vendedor não me deixou sair sem comprar algo. Aflito, dei de mão no primeiro livro de um balaio com a placa US$0,75. Saquei um dólar. Ele não tinha troco. Pediu que voltasse depois. Mais tarde, quando retornei, a loja estava fechada. Ninguém em volta conhecia o turco, ou a tal livraria. Perdi vinte e cinco centavos de dólar. Compartilho um pouco do que ganhei, transcrevendo verbetes aleatórios:

 

• Papa Carmelo XVI – sumo Pontífice da Igreja Caótica. Exerceu seu papado de meados dos anos oitenta do Século XX até o ano 12 do Século XXI. Fruto do casamento intelectual do Papa Rebento XVI com o Irmão Carmelo Soares. Ficou eternizado na memória dos fiéis por ter erradicado a praga do segundo casamento entre os caóticos. Seus métodos eram preventivos: valia-se de uma planilha absurdamente completa do auxiliar Batista (1948-2032). Estudava, então, as chances de êxito de todos os primeiros casamentos encaminhados para a sua Igreja. Se o casal era incompatível, não fazia a cerimônia, e ponto. Em tese, não existindo o primeiro, jamais haveria o segundo casamento. Terminou, enfim, com o: casa, separa, casa, separa, casa, separa. – Una piaga! – dizia. – Io non caso!

 

• Diego Armando do Nascimento (Peladona) – Maior jogador de futebol de todos os tempos. Com dupla cidadania, foi multicampeão do mundo, às vezes pela Argentina, outras defendendo o Brasil. Uma de suas principais características era a forma de comemorar os gols que marcava com a mão: repetia o gesto de socar a bola enquanto pulava e corria na direção das arquibancadas. Os árbitros até desconfiavam que ele estava de gozação, mas não tinham coragem de anular nenhum de seus tentos. Depois de aposentar-se dos campos, passou a ter sérios problemas de saúde, todos ligados ao consumo de drogas. Assumidamente portador de disfunção erétil, ganhou copa franca por ser garoto-propaganda de um laboratório. Em função de overdoses, vivia internado em clínicas tratando-se de priapismo. Entiendes?

 

• Michael Luther King – Astro de rock e mártir da luta contra a desigualdade entre os seres humanos. Menino negro, Norte-Americano e destaque do grupo Luther Five, ele dedicou sua existência para provar que todos poderiam ser iguais: nem negros, nem brancos. Nem homens, nem mulheres. Destemido e altruísta, aplicou no próprio corpo uma série inimaginável de experimentos médicos e científicos para transformar-se na primeira coisa mais estranha do mundo. Não desistiu nem mesmo quando efeitos colaterais fizeram cair-lhe o nariz e criar-lhe guelras não funcionais (por isso, passou a ser visto com lenços no pescoço). Investiu a enorme fortuna amealhada nos milhões de álbuns vendidos pelo planeta em sua obsessão. Infelizmente, não conheceu a igualdade em vida. Porém, morreu igual.


2 comentários:

Robertson Frizero Barros disse...

Genial como sempre, Rubem. Teu bom humor como cronista é algo raro de se encontrar ultimamente, em tempos nos quais se confunde humor com escatologia, ofensa ou tolice pura. Teu humor inteligente transformou-me em um leitor diário de teus textos. Um abraço!

Rubem Penz disse...

Beto,
ao menos tento fazer tolices elaboradas!
[]Rubem

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião.