14.12.07

Número 245

Estou saindo de férias... Durante 3 semanas, o Rufar dos Tambores dará lugar ao mergulhar nas águas. Desejo um Natal de muita paz e um Ano Novo cheio de prosperidade! Boas Festas!

 

Natal de A a Z

A – Árvore. Pouco importa o tamanho: o ritual de montá-la com os filhos é delicioso;

B – Bicicleta. "Não esqueça da minha Caloi". Essa campanha publicitária fez parte de quantas infâncias?

C – Calor. A tradição impõe para dez entre dez Papais Noéis muito, mas muito calor no dezembro brasileiro;

D – Dívidas. Várias vezes fazem companhia às belas recordações durante longos meses;

E – "Espera até a meia-noite". Era isso que eu ouvia enquanto espiava embaixo da árvore, de olho nos presentes;

F – Felicidade. É o desejo mais freqüente. Às vezes vem maculada por lágrimas e saudade;

G – Guardanapos bordados. E toalha de linho, louça de porcelana, taças de cristal...;

H – Hóspedes. Natal é uma data que reúne famílias. Vai ver que foi daí que nasceu a gíria "peru" como sinônimo de hóspede;

I – Igreja. Convém fazer ao menos uma visita para compensar as dezessete ao shopping center;

J – Jesus. Sabe o menino na manjedoura? Lembre-se dele! É seu aniversário, afinal;

K – Kitsch. Há quem julgue o sentimentalismo natalício e a histeria comercial de última categoria;

L – Livros. Um dos melhores presentes para oferecer ao amigo secreto. A modéstia me impede de recomendar um em especial...;

M – Maria: cheia de graça, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da provável ressaca. Amém;

N – Noel. O velhinho que, apesar da boa fama, é quem recebe o dossiê com as peraltices infantis;

O – "Oh Tanenbaum, Oh Tanenbaum..."   Cânticos em alemão: uma das minhas lembranças familiares;

P – Peru (Meleagris Gallopavo). Ave da família Phasianidae. Ágil, dribla o destino: morre na véspera;

Q – Quebra-nozes. Instrumento de metal desenvolvido para partir a casca da noz. Está no fundo da gaveta, pode procurar;

R – Roupa de Natal. Era assim que nos referíamos à melhor peça do vestuário, aquela que não deveria ser usada no dia-a-dia;

S – Salada Waldorf. Adoro. E, parece mentira: entra ano, sai ano, só preparamos para o Natal e Ano-Novo. No fim, ganha gosto de festa;

T – Trenó. O batmóvel do Papai Noel. Veículo de tração animal capaz de voar. Mistura de carroça com cheque pré-datado;

U – Ubicuidade. A única palavra que explicaria a capacidade de o bom velhinho estar em todos os lares ao mesmo tempo;

V – Velas. Antes da eletricidade, iluminavam as árvores de Natal. Ainda hoje estão entre os mais belos adornos para a Noite Feliz;

X – Xará. Um bom negócio para homens na terceira idade é deixar a barba crescer e assumir a identidade de Noel. Isso, ou a ubicuidade.

Z – Zumbido. Som que se assemelha ao ruído de insetos. Presente nos ouvidos dos xarás de Noel ao terminar mais uma noite de trabalho no shopping center;

 

Um comentário:

Robertson disse...

Como se cronistas tirassem férias... Eles podem até ficar sem publicar por um tempo, enquanto pensam em mil e um textos à beira-mar...

Boas "férias"!

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião.